Consulado Geral da República de Angola em Lisboa

Angola

página inicial / angola

A República de Angola tem como moeda oficial o Kwanza.

A Língua Oficial é o Português, para além de diversas línguas nacionais (dialectos), sendo as mais faladas: o Kikongo, Kimbundo, Tchokwe, Umbundo, Mbunda, Kwanyama, Nhaneca, Fiote, Nganguela, etc.

Bandeira

A bandeira nacional de Angola divide-se horizontalmente numa metade superior vermelha e na outra parte inferior preta. O vermelho simboliza o sangue derramado pelos angolanos durante as lutas pela independência, enquanto o preto simboliza o continente africano, sua espiritualidade e os seus povos. Cruzados no centro estão uma roda dentada, que simboliza a indústria, e uma catana, que simboliza o campo, encimada por uma estrela cujo conjunto simboliza os trabalhadores.

O hino nacional designa-se “Angola Avante”. Pode ouvir o instrumental clicando no botão “play”.

Geografia

Angola situa-se na região ocidental da África Austral, tendo os seguintes dados geográficos:

Latitude – Norte – 04°22’G / Sul – 18°02’G
Longitude – Leste – 24°05’E.G / Oeste – 11°41’E.G

Superfície: 1.246.700 km2

Extensão da Costa Atlântica: 1.650 Km

Fronteiras Terrestres: 4.837 Km

Países limítrofes a Norte: República do Congo e República Democrática do Congo.

Países limítrofes a Leste: República Democrática do Congo e República da Zâmbia.

Países limítrofes a Sul: República da Namíbia.

Oeste: Oceano Atlântico.

Angola tem 18 províncias:

Província Extensão Capital
Bengo 33.016 Caxito
Benguela 39.826 Benguela
Bié 70.314 Kuito
Cabinda 7.270 Cabinda
Kuando-Kubango 199.049 Menongue
Kwanza-Norte 24.110 N’dalatando
Kwanza-Sul 55.600 Sumbe
Cunene 87.342 Ondjiva
Huambo 34.270 Huambo
Huíla 79.022 Lubango
Luanda 2.417 Luanda
Lunda-Norte 103.000 Dundo
Lunda-Sul 77.367 Saurimo
Malanje 97.602 Malanje
Moxico 223.023 Luena
Namibe 57.091 Namibe
Uíge 58.698 Uíge
Zaire 40.130 M’BanzaCongo


Aproximadamente 65% do território está situado numa altitude entre 1000 e 1600 metros.

O Clima

O Clima em Angola tem duas estações: a das chuvas, período mais quente que ocorre entre os meses de Setembro a Maio, e a do Cacimbo. A do Cacimbo ou Seca é menos quente e vai de Maio a Setembro.

O país possui uma situação geográfica peculiar, por estar na zona inter-tropical e sub-tropical do hemisfério Sul, ser próximo ao mar, e pelas especificidades do seu relevo, divide-se em duas regiões climáticas distintas:

• A Região Litoral – com humidade relativa média anual de 30% e temperatura média superior aos 23°C;

• A Região do Interior, sub-dividida em Zona Norte, com elevadas quedas pluviométricas e temperaturas altas , zona de Altitude que abrange as regiões planálticas centrais com uma estação Seca de temperaturas baixas e a Zona Sudoeste, semi-árida em consequência da proximidade do deserto do Namibe, extensão do deserto do Kalahari, sujeita a grandes massas de ar tropical continental.

As Temperaturas Médias do país são: 27°C máxima e 17°C mínima

A esta diversidade climática corresponde um potencial turístico representado por um património natural riquíssimo em flora e fauna diversificada, possibilitando a prática de todo tipo de actividades de lazer, hobbies e aventuras.


A Flora

Angola apresenta cinco tipos de zonas naturais, a floresta húmida e densa como a de Maiombe que contém as mais raríssimas madeiras do mundo, as Savanas, normalmente associadas às matas como é o caso das Lundas, as Savanas secas com árvores ou arbustos, em Luanda, baixa de Kassanje e certas áreas das Lundas.

Existem ainda zonas de Estepe ao longo de uma faixa que tem o início a sul do Sumbe e, por fim, a desértica que ocupa uma estreita faixa costeira no extremo sul do país, onde podemos encontrar no deserto do Namibe uma espécie única e endêmica no mundo que tanto caracteriza este país a “Welwitchia Mirabilis”.


A Fauna

Em Angola conhecem-se inúmeras espécies espalhadas por várias regiões. Na floresta do Maiombe habitam Gorilas, Chimpanzés e Papagaios, nas zonas naturais mais húmidas do norte, centro, centro e leste, podemos observar o Golungo, a Palanca Negra-Gigante, uma espécie endêmica no mundo e em vias de extinção, a Seixa, e os Elefantes. Já nas regiões mais secas aparecem a Cabra de Leque, o Guelengue do deserto ou Orix, o Gnu, a Impala, a Chita, o Búfalo, também o Elefante, a Zebra e a Girafa. Animais mais ou menos comuns a todo o território são a Hiena, a Palanca Vermelha, o Leão, o Leopardo e o Hipopótamo.

Na fauna marítima existem igualmente uma enorme variedade de peixes e de mariscos que se encontram também nos rios e que, a par destes, podemos ver também Crocodilos e Jacarés.


Os Principais Rios

O principal rio de Angola é o Kwanza, que dá o nome a moeda nacional com 1000 Km de longitude, mas apenas 240 Km são navegáveis. De seguida, o Kubango com 975 Km, depois o Cunene com 800 Km e por fim, na lista dos quatro principais do país, o Zaire com 150 Km de longitude, sendo este último, todo ele navegável.

Os rios angolanos oferecem oportunidades para a implementação de negócios de interesse turístico ou mistos do tipo comércio-turismo ou ainda a prática do eco-turismo.


Recursos Minerais

Angola é um país potencialmente rico em recursos minerais. Estima-se que o seu sub-solo albergue 35 dos 45 mais importantes do comércio mundial entre os quais se destacam o petróleo, gás natural, diamantes, fosfatos, substâncias betuminosas, ferro, cobre, magnésio, ouro e rochas ornamentais, etc.

Feriados nacionais de Angola

Ano Novo
Ano novo é o momento em que um novo ano civil começa e um novo calendário anual é iniciado.
1 JAN
Início da Luta Armada
Em 1961, 200 guerrilheiros angolanos armados com catanas desencadearam ataques em Luanda, para libertar nacionalistas encarcerados pelo regime colonial português, tendo morrido 40 guerrilheiros, 6 agentes da Polícia e 1 cabo do Exército Português. O “4 de Fevereiro” dá início à luta armada de libertação nacional, que 14 anos depois culminou com a proclamação da Independência Nacional, no dia 11 de Novembro de 1975.
4 FEV
Carnaval
Festa cristã que ocorre antes da estação litúrgica da Quaresma. O uso de trajes permite às pessoas perder a sua individualidade cotidiana e experimentar um sentido elevado de unidade social. O Carnaval ocorre 47 dias antes da Páscoa.
1 MAR
Dia da Mulher
Surgiu depois do Partido Socialista da América organizar o Dia das Mulheres, em 20 de fevereiro de 1909, em Nova Iorque, uma jornada de manifestação pela igualdade de direitos civis e em favor do voto feminino.
8 MAR
Dia da Paz
Assinala o acordo de paz, assinado em 2002, entre os partidos MPLA e a UNITA, uma vez que todos os outros acordos antes assinados fracassaram. Angola viveu durante muitos anos uma guerra que assolou a população, causou graves problemas sociais e familiares.
4 ABR
6.ª Feira Santa
É uma data religiosa cristã que relembra a crucificação de Jesus Cristo e sua morte no Calvário.
15 ABR
Páscoa
A Páscoa é uma festividade religiosa que celebra a ressurreição de Jesus ocorrida no 3.º dia após sua crucificação no Calvário, conforme o relato do Novo Testamento. É a principal celebração do ano litúrgico cristão. A Páscoa determina todas as demais datas das festas móveis cristãs, exceto as do Advento.
17 ABR
Dia do Trabalhador
A homenagem remonta ao dia 1 de maio de 1886, quando foi iniciada uma greve na cidade de Chicago com o objetivo de melhorar as condições de trabalho, reduzindo a jornada de trabalho diária de 17 horas para 8. Na manifestação os confrontos com a polícia resultaram em prisões e mortes de trabalhadores.
1 MAI
Dia do Fundador da Nação e do Herói Nacional
Homenagem a António Agostinho Neto o pai da nacionalidade angolana, que teve um papel decisivo na luta contra colonialismo português e conquista da Independência Nacional, tendo esta sido proclamada em 11 de Novembro de 1975 após longos anos de luta. Instituído feriado nacional em 1980, um ano após o seu falecimento.
17 SET
Dia dos Finados
No século XI os papas João XVIII, Silvestre II e Leão IX instruíram os fiéis a dedicar um dia no ano para lembrar e orar pelas almas dos que já partiram.

Mais do que rezar e homenagear os mortos, a data realça a dimensão efémera da vida e apela a que cada um viva ao serviço do próximo, dada a sua inevitável finitude.
2 NOV
Dia da Independência Nacional
Em Luanda, às zero horas, do dia 11 de novembro de 1975, Agostinho Neto, em plena guerra civil, anuncia: “Em nome do Povo angolano, o Comité Central do Movimento Popular de Libertação de Angola, proclama solenemente perante a África e o Mundo a Independência de Angola.”.
11 NOV
Natal
Celebra o dia do nascimento de Jesus Cristo.
25 DEZ

Presidente

João Manuel Gonçalves Lourenço
Presidente da República de Angola

Síntese biográfica

O cidadão João Manuel Gonçalves Lourenço nasceu no dia 5 de Março de 1954, na cidade do Lobito, província de Benguela, filho de Sequeira João Lourenço, enfermeiro, e de Josefa Gonçalves Cipriano Lourenço, costureira, ambos falecidos. É casado com Ana Afonso Dias Lourenço e pai de seis filhos.

Fez os estudos primários e secundários na província do Bié e também na cidade capital, na antiga Escola Industrial de Luanda e no Instituto Industrial de Luanda. De 1978 a 1982, recebeu na então União Soviética formação militar, tendo-se especializado em artilharia pesada. Nesse país, obteve igualmente o grau académico de Mestre em Ciências Históricas. Tem o domínio fluente do inglês, do russo e do espanhol.

Participou a partir de Agosto de 1974 na luta de Libertação Nacional, conduzida pelo MPLA, tendo feito a sua primeira instrução político-militar no Centro de Instrução Revolucionária – CIR ‘Kalunga’ – no Congo Brazzaville. Integrou o primeiro grupo de combatentes do MPLA que em 1974 entrou em território nacional, via Miconge, em direcção à cidade de Cabinda.

Nas vésperas da Independência, participou em combates em Ntó-Iema, na província de Cabinda, e em outras localidades, contra a invasão do exército zairense que pretendia ocupar o território daquela província de Angola. Exerceu também as funções de Comissário Político das então Forças Armadas Populares de Libertação de Angola (FAPLA) em diversos escalões, incluindo a de Comissário Político da 2ª Região Político-Militar de Cabinda.

Durante a década de 80 do século XX, participou em várias operações militares no centro do país, nomeadamente nas províncias do Cuanza Sul, Huambo e Bié. Em 1983 exerceu a Presidência do Conselho Militar Regional da 3ª Região Político-Militar. Nas Forças Armadas, desempenhou ainda as funções de Chefe da Direcção Política das FAPLA, de 1989 a 1990. Actualmente é General-de-Três-Estrelas, na reserva, das Forças Armadas Angolanas (FAA).

Integra o Comité Central do MPLA desde 1985, é membro do seu Bureau Político desde 1990 e, na sequência do VII Congresso Ordinário do MPLA, realizado em 2016, foi eleito Vice-Presidente do MPLA. Anteriormente, já tinha desempenhado as funções de 1º Secretário do Bureau Político e também Secretário do Bureau Político do MPLA para a Informação e para a Esfera Económica e Social.

No domínio das funções governativas, foi nomeado em 1983, aos 29 anos de idade, para exercer o cargo de Comissário Provincial do Moxico, equivalente ao cargo actual de Governador de Província. Foi posteriormente, de 1986 a 1989, Comissário Provincial de Benguela. Em 2014, por Decreto Presidencial, foi nomeado Ministro da Defesa Nacional, cargo que exerceu até ao início da campanha eleitoral de 2017.

Ao nível parlamentar, o cidadão João Lourenço foi Presidente do Grupo Parlamentar do MPLA, de 1991 a 1998, e posteriormente Presidente da Comissão Constitucional da Assembleia Nacional, tendo desempenhado as funções de 1º Vice-Presidente da Assembleia Nacional, de 2003 a 2014.

O cidadão João Lourenço tem como passatempo a leitura, o xadrez, a equitação e é um apaixonado pelas novas Tecnologias de Informação.

Vice-Presidente

Esperança Costa
Vice-Presidente da República de Angola

Síntese biográfica

A Vice-Presidente da República, Esperança Costa, possui um doutoramento em Fitoecologia (Universidade Técnica de Lisboa, 1991-1997), mestrado em Produtividade Vegetal (Instituto Superior de Agronomia, Universidade Técnica de Lisboa – 1990-1992), licenciatura em Biologia (Faculdade de Ciências,
Universidade Agostinho Neto – 1978-1985), além de ter feito ensino médio no Liceu D. Guiomar de Lencastre, Nzinga Mbandi, em Luanda (1972-1978).


É desde 2020 secretária de Estado para as Pescas, do Ministério da Agricultura e Pescas. Foi directora do Centro de Botânica da Universidade Agostinho Neto (2010-2020), directora nacional da Expansão do Ensino Superior do Ministério do Ensino Superior (2007-2010), vice-reitora para a Expansão Universitária da UAN (2002-2007), tendo coordenado no âmbito das suas funções a implementação de várias instituições de Ensino Superior em diversas províncias do país, e da constituição das 5 universidades públicas.


Fundadora do Centro de Botânica da UAN. Vice-directora de Assuntos Científicos na UAN (1997-2002), coordenadora nacional da Rede de Estudos de Biodiversidade (SABONET) da SADC, ponto focal para África Austral da Rede Internacional de Ciências (IFS), membro do Grupo de Trabalho do BENEFIT, responsável pela parte de formação da corrente fria de Benguela para Formação, professora titular da UAN.


Destaca-se, igualmente, na “folha de serviço” de Esperança da Costa, de 2009 a 2012, ter sido consultora para a Biodiversidade do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, de 2008 a 2012 consultora da ministra do Ambiente, entre 1999 e 2005 consultora do Ministério das Pescas e Ambiente.
Participou, também, de projectos relevantes, nomeadamente, coordenadora do mestrado em Agronomia e Recursos Naturais da Faculdade de Ciências Agrárias, que funcionou na Huíla.  Parceria UAN e Universidade Técnica, Lisboa. Participou da coordenação da implementação da Academia de Pescas, do Namibe, coordenadora da Criação do Centro de Botânica da Faculdade de Ciências.

A biografia partidária destaca-se, entre outras funções, a de fundadora, em 2006, do Comité de Especialidade dos Ecologistas e Ambientalistas; coordenadora do Grupo Técnico da Biodiversidade; Membro do CAP número 2 Rangel. Membro do Comité Central do MPLA, membro do Grupo de Acompanhamento do Secretariado do Bureau Político à província do Huambo; coordenadora do Grupo de Acompanhamento da OMA à província do Huambo; Membro do Bureau Político do MPLA; Membro da Direcção da Associação para o Desenvolvimento das Comunidades de Angola (APDCA).

Ministro das Relações Exteriores

Téte António
Ministro das Relações Exteriores | MIREX

Síntese biográfica

Data de Nascimento: 22 de Janeiro de 1955 

Naturalidade: Uíge 

Qualificações: 

Mestrado em Relações Económicas Internacionais, Universidade de Kiev, Ucrânia. 

Pós-Graduação em Diplomacia Preventiva, Universidade de Columbia, Nova Iorque. 

Gestão, Resolução de Conflitos e Mediação, Centro Jimmy Carter, EUA. 

Diplomacia no Instituto do Ministério de Negócios Estrangeiros do Cairo, Egipto. 

Experiência profissional: 

2020 Ministro das Relações Exteriores. 

2017 – 2020 Secretário de Estado para as Relações Exteriores. 

Representante da União Africana Junto das Nações Unidas em Nova Iorque. 

Conselheiro Diplomático do Presidente da Comissão da União Africana. 

Ministro Conselheiro na Missão Permanente da República de Angola junto das Nações Unidas, Nova Iorque. 

2004 – 2005 Assessor do Presidente da 59ª Sessão da Assembleia Geral da ONU. 

2003 – 2004 Membro da Delegação Angolana no Conselho de Segurança da ONU. 

Perito principal durante a Presidência Angolana da Comissão de Consolidação da Paz da ONU. 

1999 – 2002 Director de Gabinete do Vice-Ministro das Relações Exteriores. 

1997 – 1999 Observador Político da União Africana junto da Missão das Nações para a Organização de um Referendo no Sahara Ocidental, El Aiun, Sahara Ocidental. 

1993 – 1997 Diplomata na Embaixada da República de Angola em Addis Abeba, Etiópia, Missão Permanente junto da União Africana. 

Funcionário do Departamento da União Africana e Instituições 

Especializadas da Direcção África e Médio Oriente – MIREX. 

Funcionário da IMPORTANG do Ministério do Comércio Externo. 

Missões de Observação das Eleições pela União Africana. 

Outras referências: 

Publicações 

“Angola no Conselho de Segurança da ONU”, “Experiência e Contribuição Prática para a Resolução dos conflitos em África”. 

Idiomas 

Inglês, Francês, Russo, Espanhol, Kikongo, Lingala. 

Serviços